ENDIVIDAMENTO

Os perfis com mais chances de conseguir um empréstimo, segundo a FinanZero

Índice de aprovação de crédito cresceu 76% com a queda nos juros e maior oferta de crédito, de acordo com levantamento da fintech

Por Da redação

access_time25 out 2019, 16h13 - Publicado em 25 out 2019, 16h09

 

Homem com carteira: empregado privado, graduado e com renda de R$ 3,2 mil tem mais chances de ter o crédito aprovado 

São Paulo – Está buscando empréstimos para quitar dívidas mais caras, investir no negócio ou reformar a casa? Saiba que características como idade, ocupação, escolaridade e renda ajudam a definir se você conseguirá o dinheiro ou não.

É o que mostra um levantamento da FinanZero, fintech que opera como correspondente bancário online. A fintech negocia empréstimos pedidos pela plataforma com 30 parceiros, entre eles bancos grandes e médios, como Santander, Inter e Pan; financeiras, como BV e Crefisa; e também fintechs de crédito digital, como Geru, Creditas e Simplic.

 

 

O perfil que tem maior índice de aprovação é do empregado do setor privado, graduado e renda média próxima a 3,2 mil reais. Esse tipo de consumidor correspondem a apenas 9% dos que completaram o cadastro para pleitear crédito, mas 37% foram aprovados.

Veja abaixo os resultados do levantamento da Finanzero:

Escolaridade

Idade

Renda

Ocupação

Quantidade

Taxa de aprovação

Segundo Grau

32 anos

R$    2.200,00

Empregado privado

22%

26%

Segundo Grau

33 anos

R$    2.700,00

Autônomo

18%

20%

Primeiro Grau

34 anos

R$    2.900,00

Autônomo

12%

22%

Segundo Grau

35 anos

R$    4.455,00

Profissional liberal

11%

28%

Graduado

32 anos

R$    3.200,00

Empregado privado

9%

37%

Segundo Grau

38 anos

R$    3.300,00

Empregado público

7%

24%

Primeiro Grau

36 anos

R$    2.400,00

Empregado privado

7%

22%

Pós- graduado

37 anos

R$    4.400,00

Empregado privado

7%

35%

Segundo Grau

54 +

R$    3.200,00

Aposentado

5%

19%

Segundo Grau

35 anos

R$  21.523,00

Empresários

3%

33%

Das solicitações feitas para pagar dívidas, 25% foram aprovadas; para investimentos, 26%, e para reformar a casa 28%. A maior taxa de aprovação foi para compras, viagens e festas, com 32%.

Motivos

Quantidade

Taxa de aprovação

Quitar dívidas

45%

25%

Investimentos

14%

26%

Reforma da casa

13%

28%

Investir no próprio negócio

13%

24%

Compras, viagens e festas

5%

32%

Estudos

5%

25%

Procedimentos médicos

4%

22%

Apesar de o porcentual aprovado ainda ser relativamente baixo, Olle Widén, CEO da FinanZero, aponta que o crescimento da oferta de empréstimo pessoal com juros menores decorrente do avanço das fintechs e do aumento da competitividade no mercado financeiro resultou em uma elevação de 76% na aprovação das solicitações de financiamento. “Os bancos vêm flexibilizando mais a concessão de crédito diante de uma maior concorrência”.

Entre as novas empresas de crédito digital, fintechs como Geru e Creditas costumam oferecer boas condições de taxas, mas em geral exigem que o score de crédito do consumidor seja mais alto do que a média.

Já a plataforma Simplic é mais acessível e aceita perfis de maior risco, atuando de forma semelhante à Crefisa. Contudo, as taxas de juros cobradas pela fintech são de em média 15%. Na Crefisa podem chegar a 35% ao mês.


Comentários (0)


Deixe um comentário